terça-feira, 10 de julho de 2018

When the seed comes in shape of a letter : ))))

The Moon...? 
The loving eye of the Night! 
The Sun...? 
The majestic march of the Space.! 

The Clouds..? 
The dream clusters of the Skies! 
The Winds..? 
The friendly hands of the Nature! 
The Water..? 
The blood of the Greenery! 
The Trees.? 
The Earth's signature of victory! 
The Birds..? 
The Mind's chariot of flowers! 
The Sky..? 
The mighty shrinkers of the Macrocosms! 
The Stars..? 
The seeds of the Day sown 
In the fields of the Night!


O carteiro veio.E trouxe os melhores desejos do mundo. Tu não existes" Anabela patanisca dos peircings ;)

segunda-feira, 9 de julho de 2018

I will never know.

WHO ARE YOU?
I am a small poem
On a page with room
For another.
Share with me
This white field,
Wide as an acre
Of snow, clear
But for these tiny
Markings like the
Steps of a bird.
Come. Now.
This is the trough
Of the wave, the
Seconds after
Lightning, thin
Slice of silence
As music ends,
The freeze before
The melting. Hurry.
Lie down beside me.
Make angels. Make devils.
Make who you are.

domingo, 8 de julho de 2018

Adoro pataniscas : ))))



Uma mensagem sobre os amigos que no teu tlm se chamam coração.

segunda-feira, 2 de julho de 2018

Inadvertidamente, nunca inadvertidamente

Nunca inadvertidamente. Não para mim. Nunca é inadvertidamente. Nunca é inadvertidamente que os assuntos se tornam objecto de exploração neste blog.

Eu sou boa fingideira. Posso sempre fingir, é teatro. Está tudo bem, está sempre tudo bem e vai estar sempre tudo bem. É este o ponto a que se chega. Está tudo bem, está sempre tudo bem. Mesmo que não. Porque nunca chegaste cá. Porque quase quiseste. Mas não, nunca quiseste. Pensámos que sim, um bocadinho de tempo. Mas não. E está sempre tudo bem. Eu é que já fingi e fugi para outro sítio.
Nunca é inadvertidamente que se chega a um quase lá.

quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

Eixos de referência

Talvez estejam a mudar. Naturalmente. E pronto. "Never gonna let you forget me." Ok...

domingo, 11 de fevereiro de 2018

Em Outubro

Caramba, em Outubro estaria bem. Mas não. O incêndio do dia 15 de Outubro de 2017 foi tremendo.

sábado, 16 de dezembro de 2017

Louvas a Deus por um sonho

Deus Santo,
Queria louvar-vos pelo sonho que tive esta noite, sonho que me deixou feliz!
Entrei no sonho pela mediação dos cantos matinais das aves que iniciavam alegremente um novo dia.

Olhei e vi que o sol começava a irromper. 
A luz brilhante daquela manhã transportou-me para o início da Criação.

Nesse momento recordei a Palavra Criadora do Livro do Génesis: 
“Deus disse: Faça-se a luz. E a luz surgiu. 
Deus viu que a luz era boa e separou a luz das trevas” (Gn 1, 3-4).

Compreendi que o aparecimento da luz no início de um novo dia 
é como que uma nova Criação:
As plantas tornam-se verdes e o céu ganha de novo o seu azul.
Gradualmente as aves iniciam os seus cantos matinais 
e, dentro de pouco, começam a surgir as crianças a saltitar.

Naquela manhã de sabor divino, o meu coração estava predisposto 
para acolher o Deus que inicia a génese do Universo 
com o clarão majestoso da explosão que deu origem ao Universo.

Saboreei, então, a dinâmica criadora de Deus que é tão real hoje, 
como foi ontem ou no começo da criação.
Compreendi que Deus não é um mágico que fez aparecer as coisas, 
retirando-se logo em seguida.

Naquela manhã compreendi 
que os ritmos e a harmonia presentes na marcha da Criação 
têm a sua origem nas relações amorosas da Santíssima Trindade.

Depois saboreei a gratuidade de Deus ao fazer avançar o processo criador.
Perante esta visão majestosa, o meu coração dilatou-se para acolher as bênçãos 
que o Criador começava a difundir pela vastidão do Universo.

E foi assim que me dei conta de que a felicidade está ao nosso alcance,
porque vós, Deus Santo, habitais em nós.
Exultei de alegria perante a grandeza e a generosidade 
de um Deus sempre disponível para comunicar connosco.

Louvado sejais, Senhor Deus por esta possibilidade de sermos felizes todos os dias, 
pois não só estais em nós como sois um Deus para nós!

Senti no meu íntimo como que uma Água Viva, forte, mas amável, 
a jorrar dentro do meu peito. 
Compreendi que era a Salvação a circular e a habitar no meu coração.

Senhor Deus, a luz daquela manhã foi como que uma réplica 
do teu gesto de amor no primeiro dia da Criação.

Depois, Jesus Ressuscitado disse: podeis marcar encontro com a fonte da Vida 
e do Amor sem ter de vos deslocar para longe.

Exultei de alegria, pois compreendi 
que a Criação estava a acontecer no mais íntimo do meu ser. 
Saboreei tudo isto e cantei um cântico nunca antes cantado, 
pois sentia emergir em mim a Vida Nova.

Já quase a terminar o sonho, vi que o Pai, o Filho e o Espírito Santo sorriram para mim.
Depois, Deus Pai, disse-me:
Vai, e não te esqueças dos teus irmãos!





NO PRIMEIRO DIA DA SEMANA
Em Comunhão Convosco,
Calmeiro Matias